terça-feira, 30 de dezembro de 2008

íssimo, íssimo, cansaço...

Há momentos em que paro e percebo o tão pequeno que é o meu chão... o tempo que não cabe nele...

Sabem quando vão a uma pastelaria e a quantidade de oferta é tão grande que sais da porta e simplesmente preferes estar como estavas. É possível viver intensamente mil coisas ao mesmo tempo? nem sei se cheguei a reflectir sobre isto, o facto de apenas problematizar cansa-me e faz-me fugir de cada porta que abre. Ficar no meu canto, no meu abrigo... Pergunto-me o quão inútil será alimentar revoltas em mim. Fazem nós, esmagam o estômago e eu já cá tenho tantas hospedadas... enfim não se mandam embora assim hospedes de longa data, mal damos por isso já moram connosco, fazem parte da mesma casa... regalias de hospedes de Homens, não há rendas nem dinheiros de alma...

"Mas quando a tarde cai
Vai-se a revolta
São os putos deste povo
A aprenderem a ser homens."

3 comentários:

Rafa disse...

...contudo...
"sentam-se ao colo dos pais...é a ternura que volta"...

os amigos são um tipo de pais diferentes :)

Joana.M disse...

Já voltavas a escrever tu -.-

Mariana disse...

não sei o que é seguir um blog ... mas parece-me bem seguir o Teu blog
:)